Skip to content Skip to footer

Praga, a cidade mágica

Praga é uma cidade mágica, rica em história, cultura, arte, mistérios e lendas.

Desde a queda do comunismo, em 1989, a capital da República Checa tornou-se um dos destinos de viagem mais procurados, sobretudo devido ao mistério que a envolve.

Praga é também conhecida como “a cidade de cem pináculos“, e para entender porquê, basta olhar para o seu horizonte: palácios e castelos contra o pôr-do-sol, sobre um bordado de vielas que parecem algo fora de um livro de histórias.

Com seus telhados inclinados e inúmeros pináculos pontiagudos, Praga é uma cidade pela qual não se pode deixar de ficar fascinado.

Se olhares para ela da linda Praça da Cidade Velha ou dos becos lotados, das margens do rio Vltava ou da cidadela de Vyšehrad, que segundo a lenda é o local do assentamento original da cidade, a capital boêmia oferece vistas perfeitas de cartão-postal que poderias olhar por horas.

Tudo isso é complementado por uma grande vibração, ótima comida, muita cerveja e alguns dos preços mais acessíveis da Europa.

Mas por onde começar? Há muitos tesouros. Neste artigo vamos contar-te alguns dos lugares mais bonitos e evocativos da cidade e as lendas que os rodeiam.

Praça da Cidade Velha (Staré Město)

Começamos nossa viagem para Praga a partir da Praça da Cidade Velha (Checo: Staré Město). O próprio coração da cidade e o local do mercado desde o século XI, a Praça da Cidade Velha (Staromestské námestí) está sempre cheia de vida e na época do Natal acolhe também os mercados tradicionais e festivos.

No centro da praça está o estranho monumento Art Nouveau ao reformador religioso Jan Hus, um símbolo nacional para o povo checo. É também aqui que encontramos um dos pontos turísticos mais importantes de Praga: a Torre do Relógio Astronómico.

Ao bater da hora, das 09:00 às 20:00, o relógio ganha vida e uma procissão de figuras olha para fora das pequenas janelas acima do relógio.

Ao lado do astrolábio (o quadrante superior), o esqueleto, símbolo da Morte, vira uma ampulheta e toca uma campainha para marcar o aparecimento dos apóstolos. As estatuetas dos 12 apóstolos aparecem das janelas da torre da Prefeitura de Praga em pares e parecem saudar a nova hora. A procissão para com o canto do galo, as horas marcadas pelo relógio, em meio aos aplausos dos turistas hipnotizados.

A Ponte Carlos (Karlův most)

A Ponte Carlos é um dos marcos da cidade. Só pode ser atravessado a pé e liga a Cidade Velha ao Bairro Menor (Malá Strana).

Foi Carlos IV quem ordenou a sua construção, um homem muito interessado em seguir influências astrológicas e numéricas para completar qualquer tipo de trabalho.

Carlos IV monitorizou cada passo da construção da ponte, incluindo a colocação da última pedra. A última pedra foi colocada em 9 de julho de 1357 às 5:31 da manhã. A sequência numérica é muito importante, pois os números são todos números ímpares, em uma ordem precisa: primeiro ascendente e depois descendente.

Segundo a lenda, esta atenção “numérica” especial de Carlos IV permitiu que a ponte resistisse e fosse preservada. Tem permanecido em perfeito estado apesar das inundações, guerras e do atropelo diário de cidadãos e turistas.

A peculiaridade da estrutura é que ela é ladeada de ambos os lados por esculturas de santos que parecem acompanhar o visitante, mostrando-lhe o caminho. A mais famosa de todas é a estátua de São João Nepomuceno, a primeira a ser colocada na ponte. Diz a lenda que quem tocar na placa de bronze ao pé do santo voltarás a Praga.

Malá Strana (Bairro Menor) e Ilha Kampa

Atravessando a Ponte Charles, chega-se ao Bairro Menor (Malá Strana), com seu estilo barroco e a Igreja de São Nicolau a dominam. Antes de entrar no Malá Strana, no entanto, recomendamos uma viagem à Ilha Kampa, que está perfeitamente ligada à Ponte Carlos por um duplo lance de escadas.

A ilha fica num braço do Vltava chamado Certovka, traduzido como “Canal do Diabo”, em referência a uma mulher que se acredita estar possuída pelo diabo, que viveu nesta margem há alguns séculos atrás. Durante a maior parte da sua história, a Vltava Certovka foi usada como lavandaria da cidade. Os habitantes de Praga costumavam vir aqui para lavar as suas roupas.

Um dos símbolos da Ilha Kampa é o Moinho do Grande Prior, o primeiro a ser construído ao longo do canal do rio Vltava. Datando do século XIV, hoje o moinho foi completamente restaurado e você pode admirar sua roda de 8 metros de diâmetro ainda em operação.

Atravessando a ilha a pé, voltamos para Malá Strana. Caminha pela Rua Nerudova, com suas típicas fachadas barrocas, até o imponente Castelo, que domina toda a cidade a partir de cima.

O Castelo de Praga é uma cidade pequena dentro de uma cidade. É o maior castelo antigo do mundo e o local onde os reis e imperadores checos exerciam o seu poder. É também onde ainda se encontram os escritórios dos presidentes da República Checa.

 O castelo é um enorme complexo, que à primeira vista não se parece com um castelo de conto de fadas clássico. Isto porque, tendo sido construído em momentos diferentes e em várias ocasiões, tem uma aparência multifacetada e, sobretudo, desenvolve-se mais horizontalmente do que verticalmente.

Há muitas coisas para ver dentro do castelo e se tiveres pouco tempo, terás de te limitar às mais importantes. Recomendamos a Catedral de São Vito, um esplêndido exemplo de arte gótica com maravilhosos vitrais coloridos, a Basílica de São Jorge, oúnico exemplo românico na República Checa, e a encantadora Rua do Ouro.

Cidade Nova (Nové Město)

Depois de ver as vistas mais antigas da capital da Boémia, estás pronto para visitar a Cidade, Nova que na verdade não é tão nova: foi fundada em 1348 pelo Imperador Carlos V. O propósito da cidade era resolver a superlotação na Cidade Velha. Geograficamente falando, de facto, é um dos maiores distritos de Praga, e é também cultural e organizacionalmente um dos seus maiores.

Para entrar na Cidade Nova, basta deixar a Igreja de Santa Maria de Tyn para trás e chegar à Praça da República, onde convergem os dois principais distritos da cidade. Daqui você pode explorar o coração comercial de Praga, com inúmeras ruas comerciais, como a rua Na Prikope.

Em Nové Město, os entusiastas da arquitetura podem admirar um edifício muito especial: a Casa Dançante, construída em 1996 pelos arquitetos Vlado Milunic e Frank Gehry. A estrutura é constituída por dois edifícios adjacentes: um tradicional e um sinuoso, que se estreita no meio. Devido a esta forma particular, a casa se parece vagamente com um casal dançante, por isso também é chamada de “Ginger e Fred”.

Antes de concluir o nosso passeio, uma última parada ‘imperdível’ no Nové Město é a estátua da cabeça do escritor Kafka. Instalada em 2014, a enorme cabeça refletora é feita de 42 camadas de aço inoxidável em movimento independente e pesa cerca de 45 toneladas. A peça revela brilhantemente a personalidade atormentada de Kafka e as dúvidas implacáveis que o atormentaram durante toda a sua vida.

Se este artigo te fez querer visitar Praga e descobrir os seus cantos mais mágicos, podes fazê-lo, por exemplo, adicionando-a aos destinos da Toratora Jukebox.

Leave a Comment

A NOSSAS REDES SOCIAIS
Instagram
Facebook
COPYRIGHT

Toratora S.R.L. – 14901221003