Skip to content Skip to footer

Natal na Escócia: entre as proibições religiosas e as tradições celtas

A Escócia é um destino de Natal mágico, e Glasgow e Edimburgo em particular,decorados com luzes cintilantes e lindas decorações.
Podes não saber, no entanto, que o dia de Natal só está no vermelho no calendário dos escoceses há algumas décadas. Continua lendo para saberes mais sobre as tradições natalinas na Escócia!

Natal na Escócia: um dia de Natal de 400 anos

O dia de Natal na Escócia era anteriormente conhecido como Yule, embora tradicionalmente este termo se refira mais geralmente à época do Natal e não apenas ao dia de Natal

Após a divisão entre a Escócia e a Igreja Católica, os festivais associados ao catolicismo começaram a ser desaprovados e a Yule foi oficialmente abolida em 1640

A Igreja Presbiteriana, a mais difundida na Escócia, continuou a restringir as celebrações de Natal, mesmo quando foram reintroduzidas no resto do Reino Unido. Pode parecer absurdo, mas na Escócia o dia de Natal começou a ser feriado em 1958 e 26 de dezembro em 1974

Sim, até então os escoceses estavam habituados a trabalhar, porque as celebrações de Natal tinham sido proibidas durante 400 anos.

Hogmanay: Natal no Ano Novo

A abolição do Natal refletiu-se no foco dos escoceses no Ano Novo, chamado Hogmanay. Este feriado, de origem celta, foi celebrado de maneira diferente nas diferentes regiões da Escócia. No entanto, há sempre elementos comuns, tais como a troca de presentes e a reunião em casa de familiares e amigos.

Assim, foi em 31 de dezembro que os escoceses celebraram da forma como celebramos o Natal, e as celebrações de Hogmanay ainda hoje têm uma forte influência na Escócia.

Um aspeto primário do Hogmanay foi o first foot, ou primeiro convidado do ano: segundo a tradição, o primeiro convidado a entrar na porta da casa no ano novo poderia ser o portador de boa ou má sorte.

Pão Yule e espíritos malignos

Uma das tradições de Natal na Escócia, também proibida por muitos anos, diz respeito ao Pão Yule. Durante o período de proibição, os padeiros tinham de denunciar qualquer pessoa que ainda pedisse para cozinhar pão Yule.

O pão Yule contém sementes de alcaravia e assemelha-se à forma de uma corda trançada, disposta em círculo. No passado, muitas vezes os pais deixavamo pão debaixo das camas dos recém-nascidos. Segundo a tradição, desta forma os espíritos tinham de contar as sementes de cominho e não levavam os bebés.

Não tens de comer pão Yule imediatamente, mas guarda-o e come-o no dia de Natal. De acordo com a tradição, deves deixar uma vela no meio do círculo do pão, deixando-a arder toda a noite.

Natal na Escócia: Christmas crackers e Christmas cards

Outro costume escocês de Natal são os Christmas crackers. São tubos de papel que parecem um grande pedaço de doce, dentro do qual se esconde um pequeno presente: pequenos chapéus de papel, cartões ou brinquedos

Quando puxa as extremidades, o cracker quebra, emitindo um pequeno barulho. É a partir deste estrondo que o cracker recebe o seu nome, pois “cracker” refere-se ao estalido de um objeto que está sendo quebrado (“to crack”).

Tradicionalmente, os escoceces usam os crackers como cartões de lugar na mesa de jantar de Natal, e cada comensal deve usar o chapéu de papel que encontra no seu cracker.

Outro costume de Natal na Escócia são os Christmas cards. São cartas reais, que contém um relato do ano passado e votos de felicidades para o ano seguinte.

Em conclusão…

Como vimos, muitas tradições de Natal na Escócia sobreviveram à proibição e voltaram à vida mesmo depois de 400 anos.

Algumas podem ter mudado com o tempo, outros diferem de região para região, outras podem parecer um pouco estranhas. O que é certo é que eles permanecem muito presentes nas memórias dos escoceses de todo o mundo.

Após séculos de mudanças religiosas, sociais e políticas, o Natal na Escócia é agora um feriado que todos adoram, e vale a pena experimentar por si próprio.

Leave a Comment

A NOSSAS REDES SOCIAIS
Instagram
Facebook
COPYRIGHT

Toratora S.R.L. – 14901221003